1.

Mari Mari, 19. Fotografia & Sex Pistols & Cinema Trash. @mriczr no instagram.

segunda-feira, abril 06, 2015

When revenge is not an option.

Misfits <3Eu te odeio, Tyler.
Passou tempo pra caralho, mas eu ainda te odeio. Talvez eu devesse crescer, deixar isso ir, superar essa merda, mas talvez eu só seja infantil e estúpido. Era exatamente isso que eu era, não é? Jovem demais e estúpido demais, e acho que acreditava em alguma espécie de justiça divina ou coisa do tipo. Me forcei a crer que você não valia a pena. Prometi a mim mesmo que o jogo viraria sozinho e que tudo ficaria bem. Você acabaria muito mal porque todo mundo paga pelo que faz.
É, dizem que as pessoas pagam pelo que fazem, mas tudo que eu vejo é um jovem garoto feliz.
É claro que considerei a possibilidade da vingança , mas vamos lá, essas coisas não acontecem na vida real, então a raiva só ficou guardada aqui me dando câncer.
Eu devia ter acabado com você, provavelmente já estaria fora da prisão agora. E talvez a prisão seja um lugar muito hostil e cheio de humilhação para um garoto mimado como eu, mas cá entre nós, nenhuma humilhação diferente das que você me fez passar.
Durante quase dez anos eu aproveitei a ilusão de que, com sorte, talvez nunca mais precisasse olhar pra sua cara. Mas agora eu sou obrigado a te ver, e puta que pariu, você está insuportavelmente bem. Você não está fracassado, ou derrotado, ou morto. O mundo não girou. Eu não "venci" nada. Você não pagou porra nenhuma, porque não existe essa coisa de karma. Você está bem, assim como eu, e está sorrindo pra mim sob a desculpa invisível de que eramos jovens demais na época. Crianças não sabem o que fazem. Talvez você seja uma boa pessoa agora, não é?
Conhecemos pessoas em comum, vamos nos esbarrar por aí... Talvez você não seja mau, certo?
Naquela festa ontem a noite quando você virou pra mim e disse:
"E aí, JC, há quanto tempo!" - o calafrio subiu minha espinha e a repentina vontade de vomitar tornaram difícil forçar um sorriso. Mas eu sorri. É, seu filho da puta, eu sorri, mesmo sabendo que ainda posso sentí-lo dentro de mim a noite, e que ainda sonho com aquele maldito vestiário. Escuto risadas e acho que estão rindo de mim, vejo pessoas sussurrando e acho que é sobre mim. Tente enxergar, não sou auto-centrado, sou paranoico.
E a culpa é minha. Eu optei por ficar calado. Eu não procurei justiça e tudo que eu fiz foi esperar acabar e tentar esquecer. A situação em que me encontro agora é unicamente fruto das minhas escolhas. Mas mesmo assim eu te odeio, Tyler.